Pastor Muller e sua  digníssima esposa  Miriam Inthurn

Translate this Page
  • Currently 2.91/5

Rating: 2.9/5 (971 votos)



ONLINE
4



Partilhe esta Página

 

Radio Admd Que Veio Pra Ficar Com você

 

Radio Admd Que Veio Pra Ficar Com você


Tipos de sermões
Tipos de sermões

Tipos de sermões

 

Pregação temática

            A partir do tema, o pregador escolhe o texto que vai usar no sermão. Uma vez escolhido o texto, este deve estar de acordo com o assunto que será explanado pelo pregador. Para ser bem claro, escolhe-se, primeiro, o tema e depois, o texto bíblico que apoiará o assunto a ser tratado. Geralmente, este é o modo mais usado pelos pregadores na preparação dos sermões, por ser o mais fácil. É muito prático preparar sermões doutrinários e evangelísticos, pois podem ser usados textos da Bíblia, exclusivamente.

As vantagens do método temático são muitas. Vejamos algumas:

Variedade de tópicos. O pregador tem liberdade para falar de diversos temas e, com isso, não fica preso a um único texto bíblico, tem a possibilidade de usar vários trechos da Bíblia para desenvolver sua pregação.

É fácil de elaborar. O pregador tem em seu favor a o privilégio de desenvolver qualquer assunto, o que torna mais fácil a organização de idéias e argumentos da maneira que ele acredita ser melhor. É o método mais praticado pelos oradores iniciantes no ministério da  pregação, porque o alvo da mensagem é atingido com facilidade. A pregação temática tem a facilidade de centralizar a idéia e o tema da mensagem, promovendo uma melhor compreensão dos argumentos apresentados.

Favorecimento uniformidade. Uma vez escolhido o tema do sermão, não há combinação com outros assuntos. O pregador pode ser fiel ao tema escolhido, mas precisa ter cuidado com o texto proposto, caso contrário, poderá seguir outros caminhos e abordar outros assuntos. 

Favorece o estilo literário e a ordem cronológica. O orador pode intermediar fontes literárias e aplicá-las à Bíblia. Pode, também, utilizar hinos e poesias.

Não obstante a todas essas vantagens, o método temático possui algumas observações que devem ser aplicadas. Por exemplo, o pregador nunca deve negligenciar o estudo profundo da pregação temática, mesmo que seja fácil de preparar. Outro fator importantíssimo é: evitar o secularismo. Às vezes, o  pregador pode correr o risco de sair definitivamente do assunto escolhido,  e isso pode desviar a atenção do auditório.

 

A ordem do sermão temático

 

Ordem cronológica

Alvo central: os juízos de Deus.

Na queda do homem, no dilúvio, em Sodoma e Gomorra e nas últimas pragas.

 

Estudo de episódio ou fatos bíblicos

Alvo central: Deus perdoa a todos.

 Perdoou Judá,  Davi, Maria Madalena e Paulo. 

 

Exame de um tema ou de uma doutrina

Alvo central: a volta de Jesus

Os sinais da natureza, os sinais por meio da história e os sinais religiosos.

 

Declaração e demonstração bíblica

Alvo central: Jesus é Deus

Eu sou o bom Pastor, eu sou a Videira, eu sou o Pão vivo que desceu do céu.

 

Argumentativa

Alvo central: obediência à Palavra de Deus

Abraão obedeceu, os profetas obedeceram, os discípulos obedeceram e Jesus obedeceu.

 

Estudo de conceitos bíblicos

Alvo central: o amor

Amor sentimental: Eros. Amor incondicional: ágape. Amor fraternal: fileo.

 

Ilustrativa e metáfora

Alvo central: o cristão deve influenciar a sociedade

Como sal da terra e luz do mundo e como cartas abertas de Cristo.

 

Exemplo esboçado de um sermão temático

 

Tema: A Palavra de Deus atua

 

1 – Salvando o homem

“Por isso, rejeitando toda a imundícia e superfluidade de malícia, recebei com mansidão a palavra em vós enxertada, a qual pode salvar as vossas almas” (Tg 1.21).

 

2 – Libertando o homem

“E o defunto saiu, tendo as mãos e os pés ligados com faixas, e o seu rosto envolto num lenço. Disse-lhes Jesus: Desligai-o, e deixai-o ir” (Jo 11.44).

 

3 – Julgando o homem

“Porque a palavra de Deus é viva e eficaz, e mais penetrante do que espada alguma de dois gumes, e penetra até a divisão da alma e do espírito, e das juntas e medulas, e é apta para discernir os pensamentos e intenções do coração” (Hb 4.12).

 

4 – Purificando o homem

“Para a santificar, purificando-a com a lavagem da água, pela palavra, para a apresentar a si mesmo igreja gloriosa, sem mácula, nem ruga, nem coisa semelhante, mas santa e irrepreensível” (Ef 5.26).

 

5 – Consolando e alentando o homem

“Para que por duas coisas imutáveis, nas quais é impossível que Deus minta, tenhamos a firme consolação, nós, os que pomos o nosso refúgio em reter a esperança proposta” (Hb 6.18).

 

6 – Santificando o homem

“Santifica-os na tua verdade; a tua palavra é a verdade” (Jo 17.17).

 

Depois de expor todos os tópicos, o pregador faz um resumo aplicativo e, em seguida, o apelo.

 

A pregação  textual

O sermão textual é aquele cujo assunto é extraído do próprio texto. Geralmente, é utilizado um único versículo bíblico, do qual é tirado o assunto central e demais termos que serão tratados. Em relação ao sermão temático, o sermão textual é totalmente diferente. O tema da pregação textual sai do próprio texto. Ao contrário do temático, que é o pregador que prepara o assunto e o tema. Há exemplos fabulosos de mensagens tiradas do próprio texto. Vejamos alguns: o vale de ossos secos (livro de Ezequiel) e o vaso do oleiro (livro de Jeremias), entre outros.

Existem vários benefícios de se pregar um sermão textual. O primeiro deles é: ancorar o ouvir num só texto. Geralmente, esse método permite que o espectador fique com a Bíblia aberta, evitando conflito de pensamento sobre o texto ministrado. O outro beneficio significativo é a facilidade de preparar o sermão textual.Os assuntos a ser tratados estão concretos no texto. Em regra, as afirmações do texto são diretas, produzindo opinião clara sobre o tema. Por esse método, o ouvinte acompanha as idéias do texto junto com o pregado, o que facilita o aprendizado. O último favorecimento, e o mais atraente de todos, é que esse sistema permite que o ouvinte possa tomar intimidade com a Bíblia.

Todavia, há alguns aspectos negativos nesse método: a pregação não pode ser aplicada a todos os textos da Bíblia, pois existem versículos que não esboçam idéias claras. Em falar nos textos bíblicos que contêm outras idéias. Mas isto não é basicamente um problema, apenas exige que o pregador tenha mais cuidado e desenvoltura para extrair o assunto principal. Às vezes, o pregador corre o risco de ser artificial. Isso acontece quando o pregador coloca idéias diferentes das do texto em seu discurso. Por isso é necessário muita cautela, para que o pregador não imponha suas próprias idéias no texto bíblico escolhido por ele para desenvolver sua mensagem, criando, sem querer, heresias.

Uma importante dica aos pregadores que desejam lançar mão do sermão textual: usar idéias consistentes. Se não for assim, a pregação fica cansativa, repetitiva e redundante, porque o orador não consegue embasar o tema com opinião firme e coerente. A prática do sermão textual não é aconselhável aos pregadores iniciantes. Normalmente, já é difícil esboçar este esquema da pregação mesmo quando se tem experiência, pois, como a maioria das pregações textuais utiliza textos pequenos, às vezes fica difícil a aplicação da passagem escolhida no dia-a-dia da vida do ouvinte.

    O estilo textual é o menos utilizado, simplesmente porque os pregadores preferem os estilos temático e expositivo, por possuírem maiores possibilidades de assuntos e temas para doutrinar os ouvinte na sua vida cristã.  No entanto, se usado com bom senso, escolhendo alguns textos peculiares, pode trazer maravilhosas pregações. Mas tudo vai depender da perspicácia e preferência do orador. 

O leitor agora deve está-se perguntando: “Como devo preparar um sermão textual?”. Primeiramente, o pregador precisa definir o versículo e a idéia principal do texto escolhido. Deve separar bem a opinião do texto, pois alguns escritos possuem diversidade de assunto. Já determinado o alvo central da pregação, o orador deve preparar a seqüência dos tópicos fundamentais escolhidos de acordo com o seu critério do orador, tendo sempre em vista o cume final da pregação.

 

A ordem do sermão textual

 

 Ordem simples de acordo com o texto

Alvo central: Cristo é o caminho da salvação (Jo 14.6)

Cristo é o caminho que conduz o homem a Deus, Cristo é a verdade que guia, Cristo é o doador da vida.

 

Trocando a ordem para atingir o auge do sermão

Alvo central: os dons espirituais e seus propósitos (Rm 11.29)

Propósito dos dons em cada pessoa: aprimoramento dos santos; propósito social: erigir a igreja; propósito evangelístico: servir a igreja.

 

Estabelecer os assuntos aplicando-lhes um alvo a ser alcançado em cada tema

Alvo central: as atribuições de cada cristão (Os 12.6)

Para cada pessoa, justiça; para com a sociedade, sempre promover a misericórdia; para com Deus, sempre buscar a humildade.

 

Procurar persuadir para causar reflexão

Alvo central: o propósito do Salvador (At 5.31)

Veio ao mundo para salvar; para remir o pecador.

 

Exemplo de um sermão textual e seu esboço

 

Tema: Cristo é o único caminho para a salvação

 

Texto base: “Eu sou a porta; se alguém entrar por mim, salvar-se-á, e entrará, e sairá, e achará pastagens. O ladrão não vem senão a roubar, a matar, e a destruir; eu vim para que tenham vida, e a tenham com abundância” (Jo 10.9,10).

 

1. Jesus é o caminho que leva a Deus

2. Ele recebe a todos

3. Ele garante o bom alimento

4. Ele veio para dar vida

 

Depois de expor todas as aplicações que o texto revela, o pregador leva os ouvintes ao apelo.

 

Fonte ICP

 

Pastor Muller

topo